Manual ajuda a promover o turismo sustentável no Monte Everest

> Publicado 27 maio - Leitura Read

O guia irá mostrar como é possível realizar uma viagem com o mínimo de impacto ambiental.


Manual ajuda a promover o turismo sustentável no Monte Everest

Todo ano, milhares de alpinistas e turistas visitam o Everest, deixando toneladas de lixo e até dejetos humanos pelo percurso. Muitos abandonam seus materiais de camping, garrafas de plástico e de oxigênio pelo caminho.

De acordo com estimativas da Everest Summiteers Association, há cerca de 50 toneladas de lixo na montanha, esse fato deu ao Everest o apelido de 'Lixo mais alto do mundo". Mas como podemos mudar esse cenário?

A resposta está na reciclagem, educação ambiental e programas de conscientização, que podem ser divulgados por meio de documentários, guias práticos e com a ajuda da tecnologia.

De olho neste cenário, o ambientalista Caio Queiroz junto com sua empresa Mídia Sustentável, desenvolveram um guia de comportamento responsável na montanha, para dividir sua experiência com as agências de viagem e os futuros montanhistas que frequentarão a região. "A ideia é ajudar a região a zerar os danos já causados e, após isso, promover a manutenção permanente.

O ambientalista também conta que o Guia foi criado a partir da expedição Everest Sustentável que realizou junto com Mariana Britto em 2019 e que teve como objetivo fazer uma viagem de mínimo impacto ambiental possível.

"Durante nossa viagem, buscamos identificar os problemas ambientais da região para divulgar e chamar atenção das pessoas, ONGs, empresas, e principalmente dos turistas que vão para o local sobre a importância da conscientização ambiental.", esclarece Caio Queiroz.

Os primeiros influenciadores a utilizarem o guia serão: Carlos Santalena - guia de alta montanha que já realizou os 7 cumes, Aretha Duarte - líder do movimento Aretha no Everest, que idealizou a sua ida ao himalaia através de lixo reciclado, Moeses Fiamoncini - líder do projeto Humalaia 8.000, Gabriel Tarso- renomado cinegrafista de natureza e Montanha e Gustavo Ziller - montanhista e apresentador do canal off do programa 7 cumes", conta Queiroz.

Para Mariana Britto, a expectativa é que o guia chegue às mãos das agências que exploram o Everest e de todos que visitam a região.

"Nosso intuito é alcançar o maior número de pessoas possível para conseguirmos ajudar a promover realmente uma transformação no local e reduzir esse grande volume de lixo. E isso só vai melhorar realmente se os turistas e o Tracker ajudarem e não deixarem nenhum impacto negativo para trás", completa ela.

O guia é gratuito e tem o formato online com versão em português e inglês e já está disponível em PDF. O guia também será enviado para a Embaixada do Nepal no Brasil, para o governo do Nepal e uma empresa ambiental da região", comenta Queiroz.

O guia também é essencial para quem busca planejar uma viagem para região ou qualquer lugar de preservação ambiental.

"Além de planejar a questão financeira, roteiro e equipamentos, também é preciso pensar em um comportamento mais adequado para poder curtir a viagem da melhor forma possível e sem deixar rastros negativos", alerta Caio Queiroz.
Dicas para uma viagem ecológica

Para quem vai visitar o Monte Everest, a dica é levar uma ecobag para ir coletando seus resíduos e ir descartando até pontos de descarte corretos.

"Leve uma camelbak - compartimento de água para mochilas - para encher de água, juntamente com um sistema de tratamento para coletar água da pia e deixá-la potável para consumo'', orienta Queiroz.

Leve placa solar para carregar seus equipamentos.

Ao ver resíduos no chão, pegue para ajudar a zerar os impactos já causados, chame a atenção de turistas e nativos para essa questão.

Não se esqueça do uso racional da água durante banhos e higiene pessoal, seja breve e não deixe luzes acesas desnecessariamente nos lodges.

É possível e fácil fazer uma viagem bem próxima de impacto zero, basta planejar e se organizar", finaliza o ambientalista.
Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias