Como será o procedimento de derrocagem no canal da Galheta

> Publicado 11 junho - Leitura Read

Nesta obra, serão removidas seis partes de pontos rasos do maciço de rochas, que somam 22,3 mil metros cúbicos em volume.
Como será o procedimento de derrocagem no canal da Galheta.

As rochas a serem removidas são parte do complexo conhecido como “Pedra da Palangana” e estão localizadas no Canal da Galheta, o principal canal de acesso ao porto, um pouco à frente do Terminal de Contêineres.

 

O desmonte de cada maciço será realizado de forma separada.

Serão removidas seis partes de pontos rasos do maciço de rochas, a menor delas tem 361 metros cúbicos e a maior 8 mil. 

O procedimento vai funcionar da seguinte forma: uma embarcação vai perfurar vários pontos nas rochas para instalar os dispositivos de desagregação que irão fragmentar as rochas.

Antes da instalação, serão adotadas medidas de mitigação dos impactos sobre a fauna, que incluem o mergulho de especialistas para verificar se existem peixes ou outros animais marinhos. 


Nessa fase, também serão utilizados dispositivos acústicos (pingers) para repelir golfinhos e botos do local.

 

O passo seguinte é a instalação de uma cortina de bolhas, que reduz o impacto da explosão e impede a reaproximação dos animais. 


O equipamento é como uma mangueira, preenchida com ar, e é instalado ao redor do maciço a ser desmontado, isolando a área.


Antes da detonação, os mergulhadores permanecem espaçados para continuar a verificação da área. 


Somente após todas essas etapas, os dispositivos de desagregação são acionados, de forma sequencial, para reduzir os impactos da detonação.


Depois disso, uma draga mecânica equipada com guindaste e grab (concha) ou escavadeira recolhe os pedaços menores das rochas e os depositam em uma barcaça com cisterna. 


Já em terra, as rochas serão recicladas através de britagem e poderão ser usadas em obras nas cidades do Litoral.

 

Fonte: Portos do Paraná

Foto: Cláudio Neves

 

Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias