África do Sul pode se tornar ponto global de combustíveis verdes para transporte marítimo

> Publicado 05 julho - Leitura Read

O acesso rápido e o uso econômico de combustíveis mais verdes para o transporte marítimo serão decisivos para redução das emissões de carbono.

                       
África do Sul pode se tornar ponto global de combustíveis verdes para transporte marítimo

A África do Sul tem uma imensa oportunidade de fornecer combustíveis ‘verdes’ à indústria global de transporte marítimo. É o que sugere o relatório divulgado recentemente pelo Fundo de Defesa Ambiental.


Os vastos recursos naturais da África do Sul, a geografia e a proeminência ao longo de importantes rotas marítimas estão entre os fatores que podem catalisar o surgimento de uma economia de transporte marítimo de baixo carbono no país. 


Mais de 90% do fornecimento de eletricidade da África do Sul vem do carvão, e a adoção de combustíveis com carbono zero também apoiaria os compromissos gerais de carbono do país.


“Nosso estudo mostra que a África do Sul tem um potencial abundante de energia renovável. 


Basta suprir a demanda elétrica doméstica do país e também a produção de combustíveis zero carbono para abastecer os navios comerciais que reabastecem em seus portos internacionais. 


A adoção de tecnologias de propulsão de carbono zero nos portos da África do Sul poderia atrair investimentos entre US $8 e US $12 bilhões em infraestrutura terrestre até 2030. 


Tudo o que é necessário para desbloquear este investimento é a política de incentivos correta definida na Organização Marítima Internacional ”, disse Aoife O'Leary, diretor de clima internacional do Fundo de Defesa Ambiental.


A África do Sul tem sido muito proativa em traçar um caminho para o investimento em combustíveis verdes. 


O governo já está desenvolvendo uma estratégia de hidrogênio e um roteiro para investidores, onde o hidrogênio verde é identificado como a primeira das cinco oportunidades de investimento estratégico da “Grande Fronteira”


As outras quatro oportunidades incluem: 

  • indústrias e infraestrutura digital de próxima geração; 

  • manufatura e logística apoiadas por zonas econômicas especiais;

  • cannabis industrial e agro-processamento avançado; e

  • escala de investimentos ambientais, sociais e de governança.


Para alavancar ainda mais as oportunidades emergentes criadas pela transição para combustíveis de transporte de carbono zero, a África do Sul está considerando um parceiro de cofinanciamento no proposto porto de Boegoebaai na região do Cabo Setentrional. 


O governo espera integrar as instalações de produção de hidrogênio verde e amônia verde para exportação no novo complexo portuário.


Um estudo recente encomendado pela Agora Energiewende descobriu que a África do Sul pode desenvolver a capacidade de produzir 3,8 milhões de toneladas de hidrogênio verde até 2050. 


Dois milhões de toneladas desse hidrogênio poderiam ser consumidos internamente para produzir combustíveis sintéticos, aço verde e produtos químicos. 


O relatório observou que tal produção ajudaria a África do Sul a competir nos mercados de importação de hidrogênio verde, especialmente na Europa, onde as importações anuais de hidrogênio verde devem atingir mais de 30 milhões de toneladas até 2050.


Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias