Estaleiro Enseada, na Bahia recebe licença definitiva para operar como porto

> Publicado 08 julho - Leitura Read

O estaleiro estava paralisado por causa do cancelamento de projetos durante a Operação Lava Jato.

                              
Estaleiro Enseada, na Bahia recebe licença definitiva para operar como porto

Estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, obteve ontem (07) a licença definitiva para operar como porto no escoamento de minério de ferro, ampliando os negócios para além do setor naval e industrial.


Localizado em Maragogipe, no Recôncavo da Bahia, o Estaleiro, que estava desde outubro de 2019, em recuperação judicial, recebe aporte milionário do Governo Federal.


O ato ocorreu na sede do Ministério da Infraestrutura, em Brasília, com a participação do Ministro de Infraestrutura Tarcisio Freitas de Freitas, do Ministro da Cidadania João Roma, do Secretário Nacional dos Portos, Diogo Piloni, da Secretaria de Fomento, Planejamento e Parcerias, Natália Marcassa, do Diretor Presidente da Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ, Eduardo Nery, do Diretor Presidente do estaleiro naval ENSEADA, Mauricio Bastos de Almeida dentre outras autoridades presentes.


O documento emitido pela ANTAQ é válido por 25 anos e prevê que o estaleiro naval ENSEADA armazene e movimente granéis minerais (minério de ferro), cargas gerais e equipamentos de grandes dimensões, a exemplo de torres e pás eólicas, além de ampliar a área do terminal portuário para 740 mil metros quadrados, transformando o ENSEADA em um dos maiores portos em operação do Nordeste.


“Reposicionamos a companhia e no meio de uma grave pandemia, voltamos a contratar e gerar renda. 


Esta licença marca a conclusão de um longo processo de quase 3 anos de trabalho com foco na diversificação dos negócios do Enseada, para além do setor de construção naval e offshore, visando disponibilizar nossas instalações para a indústria nacional, em uma agenda industrial convergente e competitiva, que resultará em criação de valor para nossa empresa e clientes mas, principalmente, implementará uma nova rota para exportação das commodities da Bahia criando desenvolvimento e oportunidades para a região do recôncavo. 


Tudo isso com segurança jurídica, robusta governança e uma forte política de sustentabilidade que nos diferenciam”, resume Mauricio Almeida.


Na Resolução Nº 174, de 2 de Julho de 2020, o Conselho Diretor do Fundo de Marinha Mercante (CDFMM) aprovou o repasse de R$757,2 milhões para projetos destinados ao setor naval.


Dentre os projetos aprovados pelo FMM, destaca-se a construção de 2 navios porta-contêineres da empresa Petrocity Portos com a Enseada Indústria Naval, pelo valor de R$308,6 milhões, objeto de um Memorando de Entendimentos entre as empresas.


“Sabemos que a indústria de construção naval anseia por boas notícias, mas cabe informar que a efetivação do contrato entre Petrocity e Enseada depende da aprovação dos Agentes Financeiros do FMM e, portanto, são prematuras quaisquer previsões sobre novos empregos que poderão ser gerados no estaleiro da Bahia”, disse.


Segundo o estaleiro de construção naval, a ENSEADA está trabalhando com dedicação e empenho para trazer novos negócios para os seus trabalhadores e fornecedores, e futuras oportunidades serão compartilhadas pelas mídias oficiais da Enseada.


Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias