Cresce movimentação de cargas nos portos brasileiros no 1º semestre

> Publicado 12 agosto - Leitura Read

Ao todo, foram 591,9 milhões de toneladas; no segundo semestre, a expectativa é de 626 milhões de toneladas.


                         
Cresce movimentação de cargas nos portos brasileiros no 1º semestre

A movimentação de cargas nos portos brasileiros cresceu 9,4% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado, informou hoje (12) a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). 


Segundo a agência, os portos organizados, terminais autorizados e arrendados movimentaram 591,9 milhões de toneladas no período. 


As informações constam do painel Estatístico Aquaviário da Antaq


O painel destaca que, na comparação com o primeiro semestre do ano passado, houve crescimento em relação ao perfil da carga. 


O aumento foi de 6,4% na movimentação de granel sólido, 11,6% no granel líquido, 16,3% em contêineres e 19,1% na carga geral solta.


No primeiro semestre, foram movimentadas 343,2 milhões de toneladas de granel sólido, representando 58% do total no período. 


O destaque foi o minério de ferro, que movimentou 171,8 milhões de toneladas, o que corresponde a um crescimento de 12% em comparação ao mesmo período de 2020. 


Em segundo lugar, veio o petróleo, cuja movimentação cresceu 8%, somando 97,2 milhões de toneladas.


Já o granel líquido, responsável por 28% da carga, movimentou 153,5 milhões de toneladas; os contêineres, responsáveis por 11% da carga, responderam por 65,4 milhões de toneladas. 


As cargas em geral movimentaram 29,7 milhões de toneladas, correspondendo a 5% do total das cargas.


De acordo com o painel, o porto que mais se destacou foi o de Vitória, que registrou crescimento de 30,6% no primeiro semestre e movimentou 3,7 milhões de toneladas de cargas.


Segundo a Antaq, a expectativa para o segundo semestre é que os portos brasileiros movimentem 626 milhões de toneladas. 


Para este ano, a estimativa é de 1,218 bilhão de toneladas, o que representa aumento de 5,5% do setor em relação ao ano passado.

       

Fonte: Agência Brasil

Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias