Porto de Suape adere a energia solar e incentiva programa 'PE Sustentável'

> Publicado 05 agosto - Leitura Read

A energia é distribuída, por rede elétrica, pelo Parque Fotovoltaico de Tacaratu, município localizado a cerca de 450 quilômetros do Recife.

                            
Porto de Suape adere a energia solar e incentiva programa 'PE Sustentável'
 

Suape incentiva o programa PE Sustentável aderindo a energia solar para o funcionamento do prédio administrativo, para abastecimento dos terminais públicos (IV e V) e o pátio público de veículos (PPV1).


O programa PE Sustentável, foi criado pelo governo estadual e gerenciado pela Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), que viabiliza a comercialização de energia solar no Mercado Livre de Energia, adquirida pelo leilão promovido pela gestão estadual em 2013.


O uso dessa matriz energética por Suape é a primeira medida anunciada após o ingresso da empresa no Iclei (Governos Locais pela Sustentabilidade), organização global que conta com 2,5 mil gestões públicas locais e regionais comprometidas com o desenvolvimento urbano sustentável do planeta. 


A iniciativa também contribuirá para elevar o Índice de Desempenho Ambiental (IDA), indicador da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) para acompanhar as atividades dos portos. 


Suape ocupa atualmente a 8° posição na lista de 31 atracadouros públicos monitorados.


A mudança foi viabilizada após a Câmara de Comercialização de Energia (CCEE) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) concederem autorização para a AD Diper atuar como agente de comercialização e no setor de Ambiente de Contratação Livre (ACL). 


Além de energia limpa , a finalidade do programa é incentivar o crescimento desse mercado em Pernambuco, que está em franca expansão. 


“O uso de energia limpa é o futuro do planeta, o futuro da economia global. O edifício sede de Suape já é um exemplo disso, pois foi construído com padrões internacionais de sustentabilidade, sendo o primeiro do Norte e Nordeste brasileiro a receber a qualificação LEED Gold. 


E agora, com outras quatro áreas do Porto Organizado, funciona com energia limpa. Suape se destaca mais uma vez como um porto do futuro”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Julio.


O diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão, celebra o grande passo dado pela estatal portuária e reforça os compromissos sociais e ambientais seguidos pelo Complexo Industrial Portuário e alinhados com a Agenda ESG (dados ambientais, sociais e de governança corporativa, sigla em inglês). 


“O mercado de energia limpa está em ascensão no mundo. A tendência é adotar medidas que não poluem o meio ambiente e que fomentem, cada vez mais, negócios que promovam a sustentabilidade no mundo. 


Suape quer ser um porto ainda mais competitivo e com alta atratividade para os investidores nacionais e estrangeiros”, pontua.


Economia

O diretor de Administração e Finanças da estatal, Jorge Vieira, informa que Suape se integra ao grupo dos primeiros portos públicos do Brasil a ter parte do funcionamento por meio de energia renovável, obtendo redução de 15% no custo financeiro mensal com a rede de alta tensão. 


“É uma economia significativa e não poluente, em consonância com as plataformas de sustentabilidade que a empresa integra no Brasil e no mundo”, reforça.


“O consumo médio dessas cinco unidades de Suape equivale a 1.418,0 MWh/ano e sendo atendido em 100% por meio de fonte solar evita-se a emissão de 108 toneladas de dióxido de carbono (CO2), o correspondente ao plantio de 770 árvores. 


É conservar o nosso patrimônio verde, incentivando a cadeia industrial desse tipo de negócio, num pensamento alinhado com nossas ações e projetos voltados para a sustentabilidade do território”, completa o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos André Cavalcanti.


O Mercado Livre de Energia Limpa é uma opção regularizada pelo Governo Federal para as empresas que decidem fazer uso de energia renovável, parcial ou totalmente. 


A iniciativa aumenta a competitividade do mercado e combate à poluição ao meio ambiente.


O uso de energia solar tornou-se realidade em Suape há dois meses, quando o viveiro florestal da empresa, localizado no Engenho Algodoais, no Cabo de Santo Agostinho, passou a ser alimentado por um conjunto de 22 placas fotovoltaicas instaladas no telhado do prédio destinado às aulas do projeto Pedagogia Ambiental, que atende estudantes e moradores das comunidades da região. 


Os equipamentos são responsáveis pela captação e conversão da irradiação solar em energia elétrica.


Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias