Bacia de evolução de Itajaí e Navegantes atinge marca significativa de 600 giros

> Publicado 03 setembro - Leitura Read

A 600ª manobra foi registrada com o navio de bandeira portuguesa MSC Michela, de 299,90 metros de comprimento por 48,20 de largura.

                                  
Bacia de evolução de Itajaí e Navegantes atinge marca significativa de 600 giros


Anúncio


 

No dia 01 de setembro, o complexo portuário de Itajaí e Navegantes atingiu a marca significativa de 600 giros na área da nova bacia de evolução. 


Sua atracação ocorreu no terminal da Portonave (berço 02), e sua desatracação aconteceu na tarde desta quinta-feira.


Em 2019, a primeira fase do projeto de ampliação do acesso aquaviário para o Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes foi realizada, possibilitando a chegada de navios de até 350 metros. 


Antes da conclusão da primeira etapa da bacia de evolução, era necessário ter o berço livre nos dois lados do complexo para que o giro fosse realizado, dificultando a agilidade dos processos necessários.


Anúncio


“Realmente é uma grande satisfação para a autoridade portuária de Itajaí, completar este número tão significativo de 600 manobras realizadas na nova bacia de evolução. 


Esse crescimento, que está se consolidando, possibilitou atingir o recorde brasileiro de recebimento do maior navio de contêineres em 17 de junho do ano passado, o APL Paris (347,04 x 45,27). 


Esse projeto também garantiu que o nosso porto permanecesse viável no mercado, aumentando sua produtividade e alcançando resultados de quase uma década de planejamento”, pontua Fábio da Veiga, superintendente do Porto de Itajaí.


Anúncio


“Os parâmetros de manobras estabelecidos com a nova bacia de evolução tem refletido no aumento de movimentação, elevando o padrão de eficiência em todo o complexo. 


Sob essa perspectiva, alcançar a marca de 600 manobras tem uma conotação estratégica e demonstra sustentabilidade do investimento realizado, ampliando a nossa vantagem competitiva”, destaca Osmari de Castilho Ribas, diretor superintendente administrativo da Portonave.


A segunda etapa da bacia de evolução está projetada para receber navios de até 400 metros de comprimento por 60m de boca. 


A primeira etapa para a continuidade da segunda fase do projeto é o alinhamento junto aos órgãos ambientais.

 

Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias