Congestionamento nos portos dos EUA pode não terminar este ano

> Publicado 07 setembro - Leitura Read

Terminais já estão congestionados por um número recorde de contêineres chegando à costa do país durante a alta temporada deste ano.

                             
Congestionamento nos portos dos EUA pode não terminar este ano

  

 

Os principais portos dos Estados Unidos prevêem que o congestionamento, atrapalhando o fluxo marítimo, continuará profundamente no próximo ano, com a enxurrada de produtos de fabricantes e varejistas procurando restabelecer os estoques esgotados seguindo durante as temporadas do transporte marítimo.


O número de navios esperando por espaço de atracação nos portos do sul da Califórnia está crescendo, enquanto os congestionamentos se estendem até armazéns e redes de distribuição em todo o país.


Anúncio


Os líderes portuários, como Mario Cordero, diretor-executivo do Porto de Long Beach, Califórnia, falaram que as companhias marítimas e seus clientes de carga acreditam que a desaceleração nos volumes de contêineres que geralmente coincide com o Ano Novo Lunar em fevereiro, quando as fábricas na China normalmente fecham, provavelmente não oferecerão muito alívio.


“Não vejo uma mitigação substancial em relação ao congestionamento que os principais portos de contêineres estão experimentando”, disse Cordero. 


“Muitas pessoas acreditam que isso vai continuar até o verão de 2022.” 


A estimativa é de que os principais portos dos Estados Unidos movimentem o equivalente a cerca de 2,37 milhões de contêineres importados em agosto, de acordo com o relatório Global Port Tracker produzido pela Hackett Associates para a Federação Nacional de Varejo.


O número é o máximo para qualquer mês em registros que datam de 2002, e a NRF projeta que os volumes de entrada gerais para o ano chegarão a 25,9 milhões de contêineres, medidos em unidades equivalentes de 20 pés. Isso quebraria o recorde de 22 milhões de caixas em 2020.


Anúncio


Os portos se tornaram um dos muitos gargalos nas cadeias de abastecimento globais, à medida que os navios ficam cheios de caixas com eletrônicos, artigos de decoração, decorações para festas e outros produtos. 


Centenas de milhares de contêineres estão presos a bordo de navios de contêineres à espera de um cais ou empilhados em terminais esperando para serem movidos por caminhão ou trem para terminais internos, armazéns e centros de distribuição.


O congestionamento tem contribuído para uma escassez mundial de contêineres de transporte e para uma espiral crescente de custos de frete marítimo. 


O impasse levou o governo do presidente norte-americano Joe Biden a nomear um enviado portuário no último mês para abordar como melhorar o movimento de carga após reclamações de empresas dos Estados Unidos enfrentando escassez de estoque, atrasos no envio e custos crescentes.


Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias