Santa Catarina sedia a Abertura Nacional do Plantio da Soja

> Publicado 09 setembro - Leitura Read

O evento torna-se ainda mais especial, porque marca as dez safras do Projeto Soja Brasil.



Santa Catarina sedia a Abertura Nacional do Plantio da Soja

   

 

Marco do setor e um dos eventos mais esperados por sojicultores de todo o país, a Abertura Nacional do Plantio da Soja 2021/2022 será realizada em Campos Novos, Santa Catarina, em 30 de setembro, na Fazenda São João. 


Para acompanhar cada minuto desse grande acontecimento, o Projeto Soja Brasil, fará a transmissão ao vivo a partir das 9h (horário de Brasília) e em sistema multiplataforma na televisão, no site e nas redes sociais. 


Vale ressaltar que esse será um evento especial, já que o Projeto Soja Brasil está completando dez temporadas.


A exemplo do que ocorreu no ano passado, o público esperado será menor do que o das edições anteriores por conta da necessidade de distanciamento social provocado pela pandemia do coronavírus.


No tradicional e aguardado enfileiramento de plantadeiras, as máquinas estarão a todo vapor para colocar as sementes de soja no solo e dar a largada para a safra 2021/2022.
 

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja do Estado de Santa Catarina (Aprosoja-SC), Alexandre Di Domenico, a expectativa é receber entre 350 e 400 pessoas. 


“Esperamos ter a presença do presidente da República, da ministra da Agricultura, de autoridades nacionais e estaduais ligadas ao agro e lideranças do setor. 


Os presidentes estaduais das 16 Aprosojas, assim como as diretorias e toda parte executiva da entidade também estará presente”, conta.


A Abertura Nacional do Plantio da Soja 2021/2022, em Santa Catarina, vai acontecer em um estado com modelo peculiar de produção, amparado em cooperativas e no uso do grão para abastecimento majoritariamente interno. 


“Santa Catarina é um grande consumidor de soja e de milho em função da agroindústria. 


Temos o maior rebanho de suínos e o segundo maior de frangos do país, além de sermos a quinta maior bacia leiteira do Brasil. 


Então, toda essa produção de proteína animal é à base de ração, feita com o farelo da soja e do milho”, explica o presidente.


Ainda assim, de acordo com ele, também há embarque da oleaginosa no estado. 


“Contamos com duas esmagadoras no estado para a produção de óleo. 


Somos um estado muito dinâmico onde a pequena propriedade funciona e faz com que tenhamos produções diferenciadas, com um modelo um pouco diferente do que no resto do país, mas que funciona bem e que gera resultados no campo”.


Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) dão conta de que na safra 2010/2011, a área plantada de soja em Santa Catarina era de 458,2 mil hectares e em 2020/2021, o número saltou para 696,3 mil hectares, um aumento de 52% em dez anos. 


Nada mal para o estado que ocupa apenas a vigésima colocação entre os maiores do país.


“No ano passado, nossa produção média ficou em torno de 3.800 quilos por hectare. 


Tivemos seca, problemas com estiagem e não foi uma safra recorde, mas já contamos com lavouras batendo 80 sacas por hectare”, conta.


Sobre o aumento de área em uma década, Domenico credita à integração agricultura-pecuária. 


“Abrimos algumas regiões novas. Onde era pastagem, virou lavoura. Essa é uma realidade que mostra esse crescimento, mas, ainda assim, é um estado onde é difícil ter incremento elevado porque não temos mais áreas para crescer porque nosso litoral é muito extenso. 


Temos soja apenas na Região do Meio-Oeste, Região Serrana e Planalto Norte. Campos Novos, onde acontecerá a Abertura Nacional do Plantio, é o maior produtor de soja do estado de Santa Catarina”, explica o presidente da Aprosoja-SC.


De acordo com ele, o forte cooperativismo em Santa Catarina, parte da cultura dos catarinenses e do dia a dia das pessoas do campo, é uma das grandes ferramentas que fizeram com que o produtor aumentasse a produção e a capacidade de gerir seus negócios.


Estimativas da Aprosoja-SC apontam para que a safra 2021/2022 da oleaginosa no estado gire em torno de 2,5 milhões de toneladas.


Uma realização do Canal Rural e da Aprosoja Brasil
Redação da Maré.

Anúncio






Últimas notícias