Programa Inglês Paraná - Rede estadual recebe plataforma de curso completo online

> Publicado 26 outubro - Leitura Read

Além dos professores da disciplina, terão acesso ao curso, estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio.

                             
Programa Inglês Paraná - Rede estadual recebe plataforma de curso completo online


O Programa Inglês Paraná, lançado nesta terça-feira (26) pelo Governo do Estado, disponibiliza um curso completo de inglês dividido em 16 níveis de proficiência, do básico ao avançado, acessível de forma digital online e offline via computador ou aplicativo no celular. 


O objetivo é estimular e facilitar o aprendizado do inglês para os alunos da rede estadual paranaense.

 

Coordenada pela Secretaria de Educação e do Esporte (Seed), a iniciativa disponibiliza uma plataforma de ensino online que se soma às aulas de inglês da escola, estimulando o aprendizado com atividades audiovisuais na escrita, leitura, fala e escuta.


No lançamento, o governador Carlos Massa Ratinho Junior ressaltou que os alunos terão a oportunidade de aprender inglês de forma moderna, impulsionando sua formação para o futuro:


“A segunda língua, em especial o inglês, é importante para o crescimento profissional desse jovem. 


Além disso, ela dá a oportunidade de ele se transformar em um cidadão do mundo: onde for, estará preparado para viajar, fazer um curso fora ou garantir um bom emprego que tenha essa exigência.”


O sistema oferta um curso completo de inglês dividido em 16 níveis de proficiência, do básico ao avançado, acessível de forma digital online e offline via computador ou aplicativo no celular. 


Ao realizar o primeiro acesso, o aluno faz um teste de proficiência que vai colocá-lo no nível mais apropriado. 


Para avançar nas etapas de dificuldade, os estudantes devem concluir todas as lições, atividades e testes de cada estágio de aprendizado.


Renato Feder, secretário estadual de Educação, destacou como o programa auxiliará o estudante a ingressar no mercado de trabalho. 


“Criamos o Inglês Paraná visando preparar nossos estudantes para os desafios contemporâneos, para um mercado de trabalho que busca, cada vez mais, profissionais capazes de se comunicar em um mundo globalizado”, afirmou.


O programa beneficiará inicialmente até 420 mil estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio e mais de 4 mil professores da disciplina na rede estadual. 


O investimento foi de cerca de R$13 milhões, aplicados especialmente no desenvolvimento do sistema digital.


A secretaria treinou os professores para o uso da plataforma desde agosto, e começou a implementar a iniciativa como projeto-piloto em setembro. 


Além do conteúdo principal, também estão disponíveis na plataforma materiais complementares, tais como um sistema de leitura textual com reprodução sonora e consulta a periódicos em inglês.


“Modernizar e inovar a educação é um grande foco do Governo. Estamos nos inspirando nos países de primeiro mundo para trazer o que tem de mais moderno para os jovens paranaenses”, complementou o governador.


O modelo de ensino focado na experiência do aluno estimula o aprendizado de forma mais autônoma, sendo complementado pelos professores na sala de aula.


Professora de inglês há mais de 20 anos, Carolina Merisio Ferreira explicou que o projeto propõe uma mudança de paradigma no ensino: o professor se torna um mediador do conhecimento, o que desenvolve autonomia e protagonismo no aluno.


“O nivelamento era uma das dificuldades da sala de aula, já que temos diversas realidades e diferentes níveis de inglês em uma turma. 


Com o teste, eles podem se enquadrar no nível de inglês que já possuem – ou começar do zero”, destacou. 

“Nossos alunos estão mais motivados, não ficam apenas esperando o que o professor vai trazer”


Ela leciona em Guarapuava, na região Central do Paraná, no Colégio Estadual Visconde de Guarapuava.


A plataforma também permite ao professor acessar informações individualizadas sobre cada estudante, avaliando sua evolução e dando suporte às eventuais dúvidas que surgem. 


Para a professora, isso auxilia no planejamento do ensino.

“Baseados nas aulas que o aluno faz em casa, os professores podem criar instrumentos avaliativos, fazendo avaliações que são transformadas em nota. 


Em sala, eu projeto no quadro as lições da plataforma para os alunos e eles podem acessar pelo celular, ou via computador em sala. Com certeza o trabalho ficou mais facilitado”, explicou a professora.


Uma de suas alunas é Joana Ladislau Brandão, de 17 anos, estudante do 3º ano do Ensino Médio e aspirante à Medicina. 


Ela pontuou que o conhecimento de inglês colabora para sua futura colocação nos meios acadêmico e profissional, permitindo a compreensão de artigos científicos e sua participação em futuros congressos e cursos internacionais.


“A plataforma tem uma linguagem voltada ao mundo corporativo, que a gente não tem tanto contato em outros cursos ou até na escola. É muito legal porque é um inglês totalmente necessário”, avalia Joana.


Ela acrescenta que o sistema é ótimo para estudar, já que se adequa às necessidades de cada aluno. 


“Cada um tem seu nível de aprendizagem. Eu costumo estudar no computador, e também baixo lições offline no aplicativo. Isso ajuda porque, quando estou meio sem nada para fazer e sem internet, aproveito para fazer as atividades. Elas são bem rápidas, adaptadas para o dia a dia e simples de serem entendidas”, complementou a estudante.


Os níveis do curso seguem o Quadro Comum Europeu de Referências para Línguas (CEFR), um padrão internacionalmente reconhecido para descrever a proficiência em um idioma, de maneira a determinar quanto uma pessoa fala e entende a língua estrangeira.


O programa também está alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ministério da Educação, que estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.


O secretário estadual da Educação acrescentou que a plataforma se soma a outras inovações que o Paraná tem lançado para criar uma educação de referência internacional. 


“A gente quer que a rede estadual do Paraná seja um exemplo de educação pública. Queremos nossos alunos falando inglês, escrevendo bem, sabendo programar, aprendendo matemática e a administrar seu dinheiro”, explicou o secretário.


“Estamos preparando o jovem para o futuro dando independência para ele tocar sua vida”, complementou Ratinho Junior.


Além do programa Inglês Paraná, a Seed adquiriu neste mês 8.827 computadores para dar suporte a essa e outras iniciativas da pasta. 


O investimento foi de R$34,4 milhões, atendendo 481 escolas. Em agosto, a secretaria também lançou o Programa Robótica Paraná, levando aulas de programação a alunos das escolas estaduais.


Compareceram ao evento: 

  • o vice-governador Darci Piana; 

  • o chefe da Casa Civil, Guto Silva;

  • o secretário estadual da Administração e da Previdência e Marcel Micheletto; 

  • o diretor-geral da secretaria estadual da Educação e do Esporte, Vinicius Neiva; 

  • o chefe de gabinete do governador, Daniel Vilas Bôas; 

  • o líder do Governo na Assembleia Legislativa e presidente da Comissão de Educação, deputado estadual Hussein Bakri; 

  • os deputados estaduais Maria Victoria, Cristina Silvestre e Dr. Batista; 

  • Eduardo Santos, CEO da English First Corporation Education, empresa que desenvolveu a plataforma; 

  • além de professores e alunos de colégios estaduais paranaenses.


Fonte: AEN

Foto: Geraldo Bubniak

Redação da Maré.

Anúncio




Páginas

Últimas notícias