PE - Suape recebe empresa francesa para um futuro projeto de hidrogênio verde

> Publicado 29 outubro - Leitura Read

A Qair negocia com o governo de Pernambuco a instalação de uma planta de produção a partir de fontes de energia 100% renovável.

                           
Suape recebe empresa francesa para futuro projeto de hidrogênio verde


O Porto de Suape recebeu uma comitiva, da empresa francesa Qair, para conhecer a infraestrutura portuária, para um futuro projeto de hidrogênio verde. 


Em mais uma etapa do processo de negociação para instalação do empreendimento, a diretoria da estatal portuária se reuniu, na quinta-feira (28), com a comitiva, liderada pelo chairman (presidente) da empresa francesa, Louis Blanchard. No grupo, também estavam o diretor-executivo da Qair Brasil, Jorge Borrell, e o diretor de Operações, Gustavo Silva.


A cúpula da Qair foi recepcionada pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio; pelo diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão; e demais diretores da autarquia.


Após a reunião, o grupo seguiu para a área portuária e percorreu o porto interno, em uma embarcação, para observar detalhes das operações portuárias do atracadouro pernambucano, o 4º maior em movimentação de cargas entre os portos públicos brasileiros.


O projeto prevê a instalação de quatro conjuntos de eletrolisadores de água em áreas localizadas no complexo, em investimentos que podem chegar a R$20 bilhões nos próximos anos. 


Após o fim da visita, os representantes da Qair retornaram para o Recife. 


O empreendimento, anunciado pelo governador Paulo Câmara, em julho passado, quando estiver consolidado, poderá se transformar no segundo maior da história do Estado.


Com alto potencial para geração de energia sem emissão de gás carbônico, o hidrogênio verde é obtido a partir da usina de eletrólise, que separa o oxigênio e o hidrogênio da água. 


É chamado de verde porque a unidade que o produz funciona a partir de fontes de energia 100% renováveis. 


O H²V é insumo para muitas indústrias, principalmente no continente europeu, já existindo até como combustível para veículos. 


Também é usado para produzir amônia, um dos principais fertilizantes para o agronegócio, do qual o Brasil é um importante produtor mundial.


A planta em Pernambuco vai dispor dos processos combinados de eletrólise, bombeamento e liquefação, permitindo o envio do produto para longas distâncias, além da reforma de gás natural. 


"Esse projeto mostra a capacidade do Complexo de Suape e sua diversidade em abraçar empreendimentos de diversos segmentos. 


Estamos de olho no futuro, já que o hidrogênio verde é uma inovação mundial, tem grande potencial de investimento, sustentabilidade e desenvolvimento da economia verde", pontuou o diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão, durante a visita da comitiva da Qair.


Redação da Maré.

Anúncio




Páginas

Últimas notícias