Navio pesqueiro naufraga após colidir com rebocador que zarpou sem prestar socorro

> Publicado 13 novembro - Leitura Read

Navio pesqueiro naufraga após colidir com rebocador que zarpou sem prestar socorro

Da tripulação de 11 pessoas, dois marinheiros são-tomenses ainda estão desaparecidos.


Um navio pesqueiro naufragou na madrugada de quinta-feira (11), após colidir com um rebocador que zarpou sem prestar socorro à tripulação de 11 pessoas, informou a Capitania dos Portos são-tomense. Dois marinheiros da região estão desaparecidos. 


Segundo a subinspetora da Capitania dos Portos de São Tomé e Príncipe, Jelcimira Sousa Pontes, trata-se do navio registrado com o nome de "Santa Marta" que estava nas águas são-tomenses desde o dia 4 de novembro.


 "O acidente ocorreu no dia 11, às 04h00. O navio 'Santa Marta' naufragou depois de colidir com um rebocador que zarpou sem prestar salvamento, nem ajuda e nem assistência aos outros marinheiros que estavam na outra embarcação", revelou hoje a subinspetora.


Sousa Pontes disse que a Capitania dos Portos "não tem informações sobre o rebocador", revelando, entretanto, que após o naufrágio, nove marinheiros "conseguiram nadar até uma plataforma petrolífera" onde encontraram socorro, estando "neste momento sob a tutela das autoridades marítimas do Porto Gentil", Gabão.


Além deste acidente, a subinspetora da capitania dos portos revelou que outro navio, denominado "Gago Coutinho" também esteve à deriva com 10 marinheiros a bordo, após problemas com motor, no dia 23 de outubro.


"Aconteceu uma avaria no motor, especificamente na bomba injetora, segundo informação do armador da embarcação, ficando assim à deriva, sendo posteriormente estes marinheiros assistidos pelas autoridades marítimas do Porto Gentil" que depois rebocaram o navio "Gago Coutinho", hoje em normal funcionamento, indicou.


Jelcimira Sousa Pontes pediu a intervenção da embaixada são-tomense em Libreville, "para que diligências fossem encetadas junto das autoridades locais gabonesas, de forma a assistirem estes marinheiros que lá se encontram".


Fonte: CM/PT

Redação da Maré.

Anúncio




Páginas

Últimas notícias