A mulher supostamente colocou seu filho no porta-malas do carro para evitar exposição ao Covid-19.

                               
Juiz não encontra causa provável no caso de mãe que colocou filho no porta-malas

Um juiz do Texas decidiu na quinta-feira que não havia causa provável contra uma mãe que supostamente colocou seu filho no porta-malas do carro para evitar ser exposta ao Covid-19 – mas o caso pode ainda não ter terminado.


Sarah Beam, de 41 anos, foi acusada de colocar uma criança em perigo depois que ela supostamente colocou seu filho de 13 anos, que tinha Covid-19, no porta-malas para evitar ser exposta enquanto ela ia a um local de testes, de acordo com um mandado do Ministério Público. 


De acordo com o mandado, a mãe disse às autoridades que queria evitar a exposição ao vírus enquanto levava o filho ao local para “testes adicionais”.


O juiz Chris Morton decidiu na quinta-feira que não havia causa provável para a acusação.


O porta-voz do Gabinete do Procurador Distrital do Condado de Harris, Dane Schiller, disse que continuará analisando as evidências e pode levar o caso a um grande júri para ver se há uma acusação apropriada.

Respeitamos absolutamente a decisão do juiz e continuaremos com nosso trabalho.

O advogado de Beam, Nathaniel Pitoniak, disse, fora do tribunal na manhã da quinta-feira (13):

Discutimos os fatos na declaração que foi apresentada neste caso. Mas mesmo que fossem verdadeiras, o juiz reconheceu com sua constatação que minha cliente não colocou seu filho em perigo iminente de lesão corporal.

Beam foi acusada depois que as autoridades chegaram a um local de testes de Covid na área de Houston em 3 de janeiro, após um relatório de que um funcionário dos serviços de saúde havia encontrado a criança no porta-malas de seu carro. 


Ela foi libertada da prisão no domingo depois de pagar fiança.


Beam é professora no Distrito Escolar Independente de Cypress-Fairbanks e disse no início desta semana que estava de licença administrativa.

 

Fonte: CNN